Criança fica imersa em balde para reproduzir posição uterina.
Água deve cobrir o corpo do bebê deixando só a cabeça para fora.
O nascimento e a chegada repentina a um mundo completamente diferente pode não ser tão agradável para todos os bebês. Então, nada melhor do que um banho quentinho que lembre a barriga da mamãe. É isso o que propõe o ofurô para bebês: um banho dado dentro de um balde, com o bebê imerso e na posição vertical.

“No útero da mãe o bebê estava na água, encolhido e acolhido, com o calor da mãe, e a banheira tradicional deixa esse bebê com a barriga para cima, que é a posição mais desagradável. A proposta do ofurô é fazer com que ele resgate um pouco o que sentia na barriga da mãe e se acalme”, diz Ana Cristina Duarte, coordenadora do Grupo de Apoio à Maternidade Ativa (Gama).

Segundo o pediatra e neonatologista Carlos Eduardo Correa, o banho de ofurô não tem contraindicação e pode ser dado em bebês de qualquer idade, desde o seu nascimento. “O banho só traz benefícios para a criança e é um grande estímulo pela relação que o bebê tem com a água”, diz Correa.

A fisioterapeuta Regiane Albertini de Carvalho, mãe de Rafael, de 4 meses, recorre ao banho desde que seu filho tinha apenas 1 mês. “O Rafael já é uma criança calma, mas ele gosta muito do banho. Costumo dar o banho convencional e à noite, antes de dormir, o banho no balde para que ele se acalme e brinque um pouco“, diz a avidadobebe.com.br.

Regiane conheceu o banho por meio da indicação de uma amiga e hoje recomenda. “Utilizo um balde especial, que é feito com um plástico mais resistente“, afirma.

Como deve ser o ofurô

Os pais devem aquecer a água entre 37 e 38 graus, na quantidade suficiente para cobrir o corpo do bebê deixando só a cabeça para fora da água. Corrêa recomenda que o bebê esteja enrolado em um tecido limpo para reproduzir a posição em que a criança ficava no útero. Outra dica do especialista é que o banho seja realizado, se possível, no escuro e em silêncio.

Esse é um banho em que os pais devem estar atentos o tempo todo e o bebê pode ficar no balde até que a água comece a esfriar. É importante que a mãe apoie a cabeça do bebê durante o banho”, diz Ana Cristina. Segundo ela, por estar sempre assistido pela mão, o bebê pode inclusive dormir durante o banho.

Maternidade ativa

Ana Cristina afirma que a manternidade ativa, defendida pelo Gama, é um conceito que diz que os pais precisam fazer escolhas conscientes sobre tudo o que diz respeito ao bebê. “É importante que os pais façam pesquisas para fazer escolhas conscientes para a vida de seus filhos, porque nenhuma escolha é 100% garantida ou perfeita”, diz;

 

Existe mais de um tipo do “Teste do Pezinho”?

Teste do Pezinho: um direito dos brasileiros

A iniciativa da APAE DE SÃO PAULO de trazer para o Brasil, em 1976, um exame conhecido na época como “Screening Neonatal”, deu origem à lei que conferiu o direito a todo recém-nascido brasileiro de realizar o Teste do Pezinho, por meio do Programa Nacional de Triagem Neonatal – PNTN.
Hoje, toda a criança nascida em território brasileiro tem direito ao Teste do Pezinho Básico, totalmente gratuito. Esses exames são realizados em laboratórios oficiais e credenciados pelo Ministério da Saúde e as coletas de sangue são realizadas nas maternidades públicas ou nos postos de saúde.

O Teste do Pezinho é um exame rápido de prevenção que coleta gotinhas de sangue do calcanhar do bebê com a finalidade de impedir o desenvolvimento de doenças que, se não tratadas, podem levar à Deficiência Intelectual e causar outros prejuízos à qualidade de vida das pessoas.

Para que a prevenção seja possível, a coleta deve ser efetuada na primeira semana de vida da criança e as amostras devem ser enviadas o quanto antes para o laboratório.


TIPOS DE TESTES DO PEZINHO DA APAE DE SÃO PAULO:

Teste do Pezinho Básico:
Composto por três diagnósticos: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias.

Teste do Pezinho MAIS:

Composto por dez diagnósticos: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias Deficiência de G-6-PD, Fibrose Cística, Galactosemia, Leucinose, Deficiência de Biotinidase, Hiperplasia Adrenal Congênita e Toxoplasmose Congênita.

Veja o fôlder do Teste do Pezinho MAIS com as informações completas.

Teste do Pezinho SUPER:

Faz o diagnóstico de 40 patologias, é um dos mais completos Testes de Triagem Neonatal existentes. O teste SUPER inclui em seu painel, além de 8 doenças dos Testes do Pezinho BÁSICO e MAIS, outros 32 diagnósticos de aminoacidopatias, defeitos do metabolismo dos ácidos graxos e das acidemias orgânicas, realizados através da avançada tecnologia de Espectrometria de Massas – MS/MS Tandem.

Veja o fôlder do Teste do Pezinho SUPER com as informações completas.

Na APAE na atual data, fomos informado que o teste MAIS custa 240,00.

 

O Bazar da TipTop.

Se você procura qualidade e preços acessiveis, está é uma otima oportunidade.

Para entrar você deve ter um convite devidamente preenchido, a distribuição do convite é gratuita, indo até a portaria.

O bazar conta com saldão de coleções e pequenos defeitos.

Durante o periodo de compras, tem reposição constantemente para produtos de 1º qualidade.

Prepare-se o modo de pagamento é somente dinheiro, os caixas eletrônico é longe e a maioria não funciona no final de semana, fica a dica; os caixas eletrônico no terminal barra funda, o limite é maior, pois é terminal rodoviário.

 

 

 

 Av. Thomas Edson nº 967 Barra Funda – São Paulo – SP,

O nosso bebê pode dormir na nossa cama?

O bebê dormir junto com os pais está se tornando uma prática comum e muito antígua, facilita na hora de amamentar, está prática é criticada por muitos. O que realmente as entidades dizem sobre isso.

Entidades que se dedicam ao estudo da morte súbita do lactente a desaconselham.
A Norte-Americana de Pediatria (AAP), cita os riscos de sufocamento.

A maioria dos médicos não recomenda dividir a cama com o seu bebê se você ou seu parceiro fazem o uso de remédios para dormir, alcool, droga, fumo ou qualquer substância, mesmo que não o faça o uso no quarto, e até pais obesos ou que tenha sono pesado.

Então não posso dormir com o bebê na nossa cama?

Sim pode, com a exceção citada acima, existe sim a possibilidade de ele dormir juntinho com os pais, muitas famílias conseguem. Por isso, se você decidir tentar, saiba quais cuidados terá de tomar:

Nunca deixe o bebê sozinho na cama, mesmo que ele esteja dormindo. Se você não ficar na cama, ponha o bebê em um berço ou um local seguro, podendo retornar quando você ir para cama dormir ou para sonecas durante o dia.

Sempre procure deixar o bebê dormir de barriga para cima ou de lado (apoiar os lado e também tomar cuidado para que ele não vire ou encoste em algo que possa sufocá-lo).

Os pais devem tomar cuidado com pijamas e camisolas, pois podem ter cordões ou fitas, nunca use joias ou bijuterias na cama.

Criança mais velha não deve dormir junto com bebê menores de 1 ano. A criança mais velha pode machucar o bebê durante o sono.

Nunca deixe que animais frequentem a cama em que o bebê dorme.

Sempre utilize colchão firme e plano, cuidado com edredons, tudo para evitar que o bebê se sufoque ou escorregue e caia.

Se a cama for alta, tome cuidado redobrado ou pense muito antes de tentar esta opção. Caso queira pode utilizar o colchão no chão temporariamente.

Sempre verifique a cama e ao redor do colchão para ver se não há objetos ou vãos em que a criança pode cair e ficar presa (entre a cabeceira e o colchão, ou entre a cama e a parede). Se houver vãos, preencha-os com edredons ou toalhas enroladas.

Tome cuidado com objetos perto da cama, como produtos de beleza em cima da cômoda, abajures, fios ou cordas de persianas.

Nunca deixe o bebê ficar com o rosto enfiado em travesseiros, edredons e cobertores. Verifique o lençol se esta bem presa e firme.

Cuidado com agasalhos da criança. Lembre-se que o bebê terá o calor humano dos pais, então a cama estará muito mais quente do que se estivesse sozinho no berço.

É a opção certa para sua família?

Vínculo com o bebê

Com a vida de hoje em dia em que o casal trabalha, passar horas bem juntinhas na cama pode ser uma maneira de se conectar mais ao bebê, depois de um longo dia de separação. Em muitos casos, os pais sentem que é uma forma especial de se aproximarem do filho, já que eles não têm a mesma ligação física que as mães que amamentam o bebê.

Amamentar durante a noite

As mães gostam dos filhos na própria cama por ser mais prático amamentar o bebê quando ele já está perto.

Porém pode observar que esta proximidade faz com o que a criança acabe acordando com mais frequência para mamar.
Tenha em mente também que poderá ser mais difícil dar um fim às mamadas noturnas do seu filho se ele estiver na sua cama. No caso de bebês amamentados no peito, pode ser ainda mais complicado, porque eles sentem o cheiro do leite da mãe, e muitos acabam desenvolvendo o hábito de acordar toda hora durante a noite para mamar, mesmo após já terem perdido a necessidade física de fazer isso.

Intimidade do casal

Para alguns casais, a presença do bebê na cama torna mais difícil encontrar tempo para momentos de intimidade e sexo. Outros, porém, acreditam que isso os força a ser mais criativos na busca de soluções para ficarem sós.

Se o seu filho dormir na sua cama, é bem provável que você precise planejar a hora de estar a sós com seu parceiro, em vez de esperar que ela aconteça espontaneamente. Dependendo da forma como você esteja se sentindo, isso pode ser um peso ou uma diversão.

De qualquer maneira, a decisão de levar o bebê para dormir na cama dos pais precisa ser conjunta do casal, para que não haja risco de afetar a relação de vocês dois.

Segundo especialistas, as jovens têm maior propensão para hipertensão gestacional e parto prematuro; veja como aplacar o quadro

 

De acordo com pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, só em 2009 foram registrados mais de 444 mil partos de adolescentes (de 12 a 18 anos de idade) em todo o Brasil. Segundo o mesmo estudo, estes números vêm caindo significativamente na última década, porém continua preocupando autoridades e a sociedade em geral.

Para Sueli Raposo, ginecologista do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica, a gravidez é um período em que a mulher agrega novos desafios para sua vida. “Além de estar mais sensível, ela tem que lidar com as mudanças do corpo, ampliar hábitos saudáveis e se preparar para cuidar de alguém, educar”, ressalta a especialista.

Na maioria dos casos, as adolescentes não estão preparadas física e psiquicamente para essas alterações em sua vida. Por conta disso, as campanhas do Ministério da Saúde e de outras instituições à conscientização sobre sexo, uso de camisinha e acompanhamento da gravidez são tão importantes no Brasil.

O estudo do Ministério da Saúde aponta também que a redução de partos em adolescentes foi mais efetiva em 2009, com queda de 8,9% em relação a 2008. As autoridades acreditam que essa diminuição está atrelada ao investimento R$ 3,3 milhões em ações de educação sexual e na ampliação do planejamento familiar. Além disso, em dois anos foram distribuídos 871,2 milhões de preservativos nos postos de saúde para toda a população.

Apesar da significativa melhora nos índices, as preocupações com relação a este tema ultrapassam as questões preventivas. As gestantes, adolescentes ou não, precisam se conscientizar sobre a importância de um acompanhamento médico durante toda a gravidez, o pré-natal.

Segundo a Sueli, na adolescência o pré-natal é ainda mais significativo, já que muitas vezes o corpo pode estar ainda em desenvolvimento e não preparado para gerar um bebê. “É importante que as adolescentes entendam que uma gravidez com complicações pode trazer riscos para sua própria vida. A gestação precoce aumenta os riscos de hipertensão e parto prematuro”, acrescenta.

A ginecologista selecionou abaixo os principais exames gestacionais que devem ser realizados, independente da idade. “Ao consultar um médico, a gestante terá maior segurança desde o princípio da gravidez, poderá antecipar diagnósticos e até tratar o feto de acordo com os avanços da medicina”, completa a Sueli.

 

1º Trimestre de gestação
1. Hemograma Completo
2. Tipagem Sangüínea
3. Glicemia de Jejum
4. Sorologia para Sífilis (VDRL e FTA Abs), HIV, Hepatite B e C, Toxoplasmose, Rubéola e Citomegalovírus
5. Uréia, creatinina
6. Urina I, cultura e antibiograma
7. PPF (Protoparasitológico de Fezes)
8. Papanicolaou
9. Ultra-som Obstétrico Endovaginal ou Transvaginal com translucência nucal entre 11 e 14 semanas.
10. TSH e T4 Livre
11. Coombs Indireto – nas pacientes Rh negativo.

 

2º trimestre de gestação
1. Ultrassom Morfológico entre 20 e 23 semanas
2. Urina I, cultura e antibiograma
3. Hemograma, Vdrl, glicemia, toxoplasmose.

 

3º trimestre de gestação
1. Ultrassom Obstétrico com Doppler colorido
2. Cardiotocografia
3. Perfil Biofísico Fetal, se necessário
4. Dosagem de Uréia, Ácido úrico e Creatinina, se necessário
5. Hemograma, glicemia, Vdrl, Hiv, Toxoplasmose
6. Urina I, cultura e antibiograma
7. Curva Glicêmica, se necessário.

As vacinas são indispensáveis para o crescimento saudável da criança. Elas são substâncias compostas por proteínas, toxinas, vírus ou bactérias mortas ou atenuadas que, ao serem introduzidas do corpo geram uma reação do sistema imunológico semelhante à que ocorreria caso a doença realmente nos atingisse, provocando assim uma produção de anticorpos que fortalecem o organismo, tornando ele mais resistente ao agente desencadeia a doença.

A vacinação da criança é anotada no seu cartão de vacinação, e quando ela recebe a aplicação em seu organismo, ocorre a desenvolvimento das células B ou T de memória e a produzção de  imunoglobulinas (G, A, IgG ou IGA), que farão o corpinho dela responder muito mais rápido contra microorganismos. Nesse processo, ela ficará fortalecida e livre de futuros problemas relacionados às principais doenças comuns durante a sua idade de desenvolvimento.

 

 

Esquema vacinal

Ao nascer:

  • BCG (dose única);
  • vacina contra hepatite B (1ª dose).

1º mês:

  • vacina contra hepatite B (2ª dose).

2º mês:

  • vacina contra Poliomelite (Sabin) (1ª dose oral);
  • vacina contra DTP (Tríplice bacteriana) (1ª dose – Difteria);
  • vacina contra Haemophilus influenze do tipo B, mais conhecida como Hib (1ª dose).

4º mês:

  • vacina contra Poliomelite (Sabin) (2ª dose);
  • vacina contra DTP (Tríplice bacteriana) (2ª dose);
  • Hib (2ª dose).

6º mês:

  • vacina contra Poliomelite (VOP) (dose oral);
  • DTP (Tríplice Bacteriana);
  • Hib (contra Haemophilus influenzae tipo B);
  • vacina contra Hepatite B.  (3ª dose).

9º mês:

  • vacina contra febre amarela (dose inicial).

12 meses:

  • vacina tríplice viral (SRC) (dose única).

15 meses:

  • vacina contra Poliomelite (reforço da dose oral);
  • DTP (tríplice bacteriana) (reforço).

De 4 a 6 aninhos:

  • DTP (2º reforço);
  • SRC (tríplice viral) (reforço).

10 aninhos:

  • reforço da vacina contra a febre amarela.

Atenção

Em 2010, o Ministério da Saúde incluiu duas vacinas no calendário de vacinação, são elas:

  • pneumocócica 10 valente (três doses mais um reforço no primeiro aninho de vida do seu bebê);
  • anti-meningococo C (duas doses mais um reforço no primeiro aninho de vida).

O Corpo Fala: Inclusive o do bebê! Só porque ele não pode falar, não significa que não tem coisas importantes a dizer – e que você está doido para saber!

Quando uma pessoa anda com as costas curvadas, significa estar se sentido derrotado. O contrário, com o peito estufado, é sinal de orgulho e autoestima. Os adultos dão muitos indícios do que sentem ou pensam por meio do corpo, é só prestar atenção. A curiosidade é que não só os adultos fazem isso. Até bebês que ainda não falam dão sinais do que querem – e essa é uma ótima maneira de se comunicar com eles.

“O comportamento do bebê, definitivamente, transmite  mensagem que lhe falam sobre o que ele precisa”, diz J. Kevin Nu Gent, diretor do Instituto Braz Elton, em Boston, e autor do livro Your Baby is Speaking to You ( Seus bebê esta falando com você ). “Ser capaz de ler e responder fara o bebê feliz, assim como vai te ajudar a aprender muito sobre a sua personalidade e temperamentos.” Para os pais que se perdem na tradução dos gestos especialistas oferecem comuns. Use essas dicas para entender o seu próprio bebê – e não deixa-lo “falando” sozinho.

Chutes Constantes

Você pode ter um futuro jogador de futebol, mas, nesse momento, o que está por trás dos chutes? Depende de como ele está agindo. “Se parece feliz e sorridente, é provavelmente um sinal de que quer brincar”, diz Claire McCarthy, professora-assistente de pediatria da Faculdade de Medicina de Harvard no Hospital Infantil de Boston. Mas, se parece exigente ou chora, pode ser a indicação de que algo o está incomodando.

O que Fazer

“Como pode ser qualquer coisa, desde cólicas até uma fralda suja ou cinto da cadeirinha apertado, faça uma rápida análise para ver o que pode estar incomodando”, diz a dra. McCarthy.

No entanto, alguns bebês s chutam simplesmente porque sentem que podem.

Arquear as Costas

Uma criança pode fazer esse movimento como ato de rebeldia, mas, quando seu pequeno rebelde começar a arquear muito as costas, isso pode ser uma reação à dor. Nesse caso, a azia é a culpada mais provável.

O que fazer

Se se bebê arqueia as costas no meio da refeição e grita ou cospe em excesso, isso pode ser sinal de refluxo ou doença condição na qual o fluxo do ácido do estômago irrita o esôfago, no meio do peito, o bebê vai arquear as costa para tentar aliviar o desconforto. Se o movimento não parecer estar relacionado à alimentação, pode significar que ele está frustrado e quer uma posição mais confortável.

Bater a Cabeça

Ver seu bebê de 10 meses usando a cabeça como uma baqueta para bater metodicamente no chão de madeira ou contra as grades do berço faz isso rotineiramente, sem parecer sentir qualquer dor. Mas, afinal, por quê? “Bebês acham o ritmo de vai-e-vem suave e confortante”, diz Catherine Nelson, pediatra no Centro Médico do Vale de Santa clara, na Califórnia.

O que Fazer

Não ignore esse movimento completamente. Se o bebê bate a cabeça por longos períodos de tempo, em vez de se envolver com outras crianças ou brincar com seus brinquedos, então você deve leva-lo ao pediatra para um check-up. Tenha em Mente que a maioria das crianças abandona esse comportamento aos 3 anos.

Punhos Cerrados

Seu bebê parece pronto para uma briga, com as mãozinhas fechadas? A maioria dos recém-nascidos fica assim, mesmo em repouso. Nessa faze, o movimento de dedos e mãos requer um sistema nervoso mais desenvolvido e uma função do cérebro mais complexa. Os bebês, geralmente,  começam a abrir as mãos por volta da oitava semana e passam a pegar coisas com 3 ou 4 meses.

Mas os punhos fechados, às vezes, podem ser sinal de estresse ou até mesmo de fome diz Michelle S. Long, enfermeira pediátrica. “Quando os bebês estão com muita fome, o corpo todo deles fica tenso.”

O que fazer

Se a tendência de seu filho de cerrar os punhos persistir após os 3 meses, verifique com seu médico.

Dobrar os Joelhos até a barriga

Não, seu filho não está fazendo exercícios abdominais. Essa posição é, geralmente, um sinal de desconforto abdominal ou intestinal, como gases ou prisão de ventre.

O que Fazer

Tente aliviar a dor. Se gases parece ser o problema, certifique-se de fazer seu bebê arrotar após as refeições. Se você está amamentando, verifique em sua própria dieta alguns culpados comuns por causar gases, como brócolis ou feijão. Se acha que o problema é a prisão de ventre (que pode ocorrer quando os bebês estão na transição do leite materno para fórmulas ou quando começam a ingerir sólidos aos 6 meses). Verifique com seu pediatra. Ele pode sugerir dar a seu bebê algumas colheres de água por dia ou misturar o leite com um pouco de suco de ameixa.

Agarrar a Orelha

Não assuma imediatamente que isso significa uma infecção no ouvido. Muitos pais logo apontam essa conclusão, mas, na maioria das vezes, seu bebê só acabou de perceber quem tem orelhas. Uma pesquisa mostrou que crianças cujo único “Sintoma” era agarrar suas orelhas não foram diagnosticadas com infecção no ouvido. Os sintomas que você deve prestar atenção incluem febre, nariz entupido e problemas para dormir à noite.

O que fazer

Incentive seu bebê a descobrir partes inusitadas do corpo, como a orelha e o nariz, mas mantenha-se atenta a ele. Às vezes, os bebês agarram suas orelhas quando estão na fase da dentição, particularmente quando os molares de um ano estão chegando. Se isso parece ser o caso, dê a ele um mordedor para ajudar a tornar essa fase mais confortável.

Braços Moles

Essa é a cena: – meu sonolento, mas ainda acordado bebê perfeitamente preparado para a hora da soneca. Quando eu me abaixo, devagarzinho, para coloca-lo no berço, seus bracinhos balançam, bobamente, para os lados, assustando-o e logo ele está de olhos bem abertos – e bem acordado, “Este é um reflexo típicos de recém-nascidos”, diz a Dra. McCarthy. Na verdade, isso até tem um nome cientifico: Reflexo de Moro, que faz com que uma criança, de repente, jogue os braços para os lados e, então, rapidamente vote-os para o meio do corpo, quando ele é surpreendido por um barulho, luz brilhante, ou movimento bruscos.

O que fazer

Este reflexo, que normalmente desaparece após os 3 ou 4 meses, é, muitas vezes, a resposta a uma súbita perda de apoio, provavelmente quando ele sente como se estivesse caindo. É normal, mas você pode evitar assustá-lo, embalando-o enrolado em cobertores antes de dormir, ou colocando-o acordado no berço.

A gradivez não é só coisa de mulher, apesar do Papai biologicamente não poder gerar um filho, o Papai tambem pode participar de tudo e até sentir os sintomas. A maioria das gestantes não acredita que seus parceiros entendam o que esta acontecendo, os futuros Papais não entendem ou demoram a entender, leem, tentam ajudar, acompanha a gestante, falam para todo mundo como é, mas sem sombra de dúvida eles ficam perdidos, por isso vamos tentar descrever um pouco de como participar dessa linda fase da mulher.

Medos vença o seus

Quando você recebe a noticia que vai ser Papai, é uma mistura de sentimento e pensamentos, isso é tudo normal com todos os homens. Sentimentos de alegria, preocupação, medo e etc… é normal, pensar em um monte de coisa ao mesmo tempo, será que ele vai se formar tudo direitinho?, será que vai ocorrer tudo certo no parto?, será que vou ser um bom Papai?, será que ele vai ser um bom filho?

Pensar em tudo isso é normal, pois a preocupação, anciedade e medos são revelados. Mas a maneira mais facil de lidar com esta nova fase de sua vida é conversar com sua parceira, com seus pais, seu amigos do trabalhos que são bons ouvintes e muitos ja tem alguma experiência ou ja são expert no assunto.

De atenção e seja ativo

É possivel participar de tudo, observe e fique atento e, sempre ativo. Mostre para sua companheira que o corpo dela esta mudando, mas que acima de tudo você esta adorando esta mudança. Filme ou fotografe varios momento das gravidez, faça montagens, desenhe na barriga dela, faça o que tiver que fazer para que ela fique feliz.

Não pode esquecer de uma boa massagem em todo o corpo, pois por causa da barriga ela cansa facil, sinta o bebê chutar.

Acompanhe a gestantes na idas ao medico e nos exames, principalmente em Ultra-sonografia, que você vai começar a entender e perder alguns medos. Cadastre-se seu email para receber novidade, informações, tudo para bebê, você sempre vai esta atenado sobre as mudanças da companheira e de seu filho, assim você será muito util.

Sempre Presente

Sempre que possivel acompanhe as consultas do pré-natal, sempre vai ver como seu filho esta se desenvolvendo no exame de ultra-sonografia.  Caso a mamãe tenha que fazer um exame amniocentese ou algum outro para detectar eventuais alterações genéticas, sempre esteja presente.

Se possivel procure um curso de pré-natal da maternidade, pode ser em outra maternidade, se informe. No curso você vai aprender como será as mudanças no corpo da mamãe, como fazer exercicios para relaxamento, como será na hora do parto e principalmente como cuidar do filho(pós parto). No curso geralmente você fala com cada especialista (Obstetra, Anestesista,enfermeira,psicologa, nutricionista e etc.., então se tem duvidas sobre algo, esta é a hora de tirar

Saúde é o que interessa

A futura Mamãe durante a gestação vai ter que fazer uma dieta bem equilibrada, não poderá fumar e nem consumir bebidas alcoólicas, e sempre ingerir muito líquidos, sempre lembre de compra uma garrafinha de agua mineral. Papai aproveite para muda de vida e de alimentação, adote uma vida mais saudavel e facil para futura Mamãe.

Papai nada de levar a futura Mamãe para lugares que contem alimentação que os médicos desaconselham. E neste momento que você pode parar com vicios como álcool e qualquer tipo de fumo. Procure gastar o seu tempo com atividades saudáveis, um bom passeio ao ar livre é um bom exemplo.

Mostre a felicidade por todas as mudanças no corpo dela

Durante a gravidez a maioria das futuras Mamães se sentem pouco atraentes e até feias, pode ser que você ache estranho ou até concorde mas nunca diga a ela.

Outra coisa bastante comum é que o relacionamento entre vocês dois fique um tanto de lado. As mudanças hormonais, as dores nas costas, os enjôos e toda a agitação da vida podem, temporariamente, tornar a vida sexual do casal menos interessante.

Seja prestativo

É bem capaz que sua mulher esteja meio exigente e mandona ultimamente. Procure relevar, já que grande parte do trabalho duro está por conta dela. Vá às compras, tente mimá-la com presentinhos e esteja pronto para satisfazer aquele maluco desejo de pickles ou de milk-shake de chocolate bem no meio da noite.

Estude bem o caminho para o hospital

A presença de uma mulher em trabalho de parto dentro de um carro não é a melhor situação para alguém adivinhar caminhos. Por isso, conheça bem o trajeto rumo à maternidade, estude a rota menos congestionada, mantenha o tanque cheio e, o mais importante de tudo, esteja sempre acessível para receber a famosa chamada dizendo: “Chegou a hora”.

Siga o que sua mulher pedir durante o trabalho de parto

Descubra o que sua parceira quer que seja feito quando ela estiver em trabalho de parto. Algumas grávidas gostam de massagens, querem ajuda para mudar de posição ou buscam conforto na sua presença. Outras podem não querer que você encoste nem um dedinho no corpo delas.

Prepare-se para estar despreparado

Por incrível que pareça, os nove meses de gravidez passam tão rápido que a experiência pode ser um tanto assustadora. Procure encará-la como um momento único na sua vida, e não se preocupe se vocês não tiverem tudo absolutamente pronto quando o bebê nascer.

A beleza da chegada de um filho é que temos a vida inteira pela frente para ir acertando os ponteiros.

Quando vou sentir meu bebê mexer?

Se esta é sua primeira gravidez, talvez demore um pouco mais para você perceber os movimentos do bebê, porque é uma sensação totalmente nova — algumas mulheres a descrevem como uma cosquinha bem de leve, por dentro, como uma borboleta batendo asas.

No caso de primeira gravidez, você provavelmente sentirá os primeiros movimentos entre 18 e 20 semanas. Quem não é marinheira de primeira viagem e já conhece a sensação costuma senti-la pela primeira vez entre 15 e 18 semanas.

Para tentar sentir, você pode comer alguma coisa e se deitar de barriga para cima, bem parada, prestando atenção. Talvez a sensação apareça.

A primeira vez que você sentir o bebê será um marco na sua gravidez. E depois aqueles movimentos tão levinhos viram chutes vigorosos, ótimos para mostrar que tudo vai bem dentro da sua barriga.

O que o bebê fica fazendo lá dentro?

Ultrassons conseguem mostrar o que os bebês fazem em cada fase da gravidez, já que a maioria dos movimentos começa bem antes de você perceber:

• entre sete e oito semanas, os movimentos gerais se iniciam, como viradas de lado e aqueles movimentos involuntários que parecem sustos

• com cerca de nove semanas, o bebê já tem soluços, balança uma perna ou um braço por conta própria, consegue chupar e engolir

• com 10 semanas, ele flexiona e vira a cabeça, traz as mãos até o rosto, abre a boca e se estica

• com 11 semanas, a graça é bocejar

• com 14 semanas, o bebê movimenta os olhos

Depois dos primeiros movimentos, que parecem asinhas de borboleta batendo, o mexe-mexe fica mais intenso e mais frequente. Conforme o bebê vai crescendo, a sensação muda, e você começa a sentir trancos e chutes, que vão ficando cada vez mais fortes.

O bebê não se mexe o tempo inteiro porque, como todo mundo, tem horas em que ele só quer mesmo é descansar e dormir. Mais no finzinho da gravidez, ele passa a dormir por cerca de 45 minutos de cada vez. Pode parecer mais, porque você não necessariamente sente todos os movimentos dele.

Veja a seguir um esquema do que esperar durante a gravidez em relação aos movimentos.

De 20 a 24 semanas

A atividade do bebê vai aumentando gradualmente. A partir de agora, o bebê terá um período mais agitado durante o dia, com muitos chutes e cambalhotas.

De 24 a 28 semanas

Pode ser que você note agora os soluços, que vão explicar os pulinhos que você vai sentir de vez em quando. O saco amniótico contém até 750 ml de líquido nessa fase, o que permite ao bebê se movimentar bastante. Ele consegue ouvir, por isso você pode perceber que ele reage a barulhos altos.

29 semanas

Seu bebê vai começar a fazer movimentos mais definidos e menos bruscos, já que está mais contido pelas paredes da sua barriga.

32 semanas

O nível de atividade chega ao auge. Depois desta semana, você vai notar uma diminuição de movimentos, algo bastante normal devido ao menor espaço dentro do útero para ele se mexer.

Cerca de 36 semanas

O bebê pode assumir sua posição definitiva no útero, normalmente de cabeça para baixo. Isso é mais provável de ocorrer se este é seu primeiro filho, já que os músculos do seu útero e do seu abdome vão ajudá-lo a ficar no lugar. Se você já ficou grávida antes, seus músculos não serão tão firmes e o bebê pode ficar mudando de posição até a data do parto.

Os principais movimentos que você vai sentir são cotoveladas, chutes e joelhadas — às vezes dolorosos, quando acertam suas costelas.

De 36 a 40 semanas

Seu bebê vai crescendo e as cambalhotas vão ficando menos frequentes. Se ele estiver chupando o dedo e por acaso o dedo escapar da boca dele, você pode sentir movimentos rápidos da cabecinha virando de um lado para o outro em busca do dedo perdido. Nas últimas duas semanas da gravidez, os movimentos diminuem um pouco, junto com o ritmo de crescimento do bebê. Isso é absolutamente normal, mas se algo estiver preocupando você, é sempre bom conversar com o médico.

A esta altura, o bebê já deve estar acomodado na sua bacia, pronto para a jornada de vir ao mundo. A cabeça dele muitas vezes pode parecer como se um melão estivesse fazendo pressão nos músculos pélvicos, o que torna difícil o simples ato de se sentar.

Talvez fique mais fácil respirar ou comer, já que seus pulmões e seu estômago estarão menos espremidos. Se sua parede abdominal ficar bem fina, às vezes dá até para distinguir o pé do bebê.

Há momentos em que ele está dormindo e outros em que está acordado e ativo, justo quando você está tentando dormir. Esse padrão de sono da vida uterina pode acabar se mantendo nas primeiras semanas depois do nascimento, até que o bebê aprende a diferenciar o dia da noite.

Quantos chutes devo sentir por dia?

Não existe um número exato de chutes por dia para se ter certeza de que tudo vai bem, e mesmo que você resolvesse marcar para contar para o médico, os resultados não seriam precisos e poderiam causar preocupação sem necessidade.

O melhor a fazer é observar o padrão de movimentos do seu filho durante as horas ativas do dia. À medida que sua gestação progride, fica mais fácil entender o ritmo do bebê. Cada criança tem um padrão diferente de sono e atividade, mas você acaba percebendo o que é típico da sua.

Caso note alguma mudança nesse padrão, converse com seu médico o mais rápido possível.

Ainda não senti meu bebê mexer hoje. Devo ficar preocupada?

Se você estava envolvida com outras coisas, talvez não tenha percebido o movimento. Mas, para se tranquilizar, veja abaixo alguns truques para fazer seu bebê se mexer:

• Deite de lado (com uma almofada ou travesseiro debaixo da barriga) e fique parada

• Coloque as pernas para cima e relaxe; os bebê muitas vezes acabam pegando no sono com a sua movimentação e acordam quando você para

• Toque uma música ou faça um barulho inesperado

• Tome alguma coisa gelada: a mudança de temperatura pode fazer com que o bebê tente “desviar” da onda fria

Feito tudo isso, se em duas horas você não sentir absolutamente nenhum movimento, procure o obstetra.

O preferível é confiar nos seus instintos: se você acha que há motivo para estar preocupada, tente falar com o médico. Um exame rápido pode tranquilizá-la.

Para algumas mulheres, o sinal mais claro de que estão grávidas é a ausência de menstruação. Mas há outros: dores de cabeça, cólicas abdominais, enjoos, escurecimento dos mamilos, seios inchados e aumento da vontade de fazer xixi.

Alterações fisiológicas no corpo da mulher durante a gravidez:

  1. – Os seios aumentam de tamanho e os mamilos podem ficar mais escuros.
  2. – A dilatação do útero comprime a bexiga, dando vontade de urinar a todo instante.
  3. – O volume de sangue cresce 50%, aumentando os batimentos cardíacos.
  4. – Até o fim da gravidez, o tamanho do útero aumenta 20 vezes.

Quais exames devem ser feitos durante o tempo em que o bebê está na barriga da mãe (o pré-natal)?

Anote aí:

  • Ultrassom
  • Translucência nucal
  • Dopler do ducto venoso
  • Cardiotocografia anteparto

Um detalhe muito importante: os médicos recomendam, no mínimo três ultrassons, feitos entre a 8a e a 36a semana de gravidez.

O que é translucência nucal?

É um exame feito entre a 10a e a 14a semana de gravidez que detecta anomalias cromossômicas no feto.

E o que que é Dopler do ducto venoso?

É um exame que, como a translucência, detecta problemas de má-formação da criança. É feito entre a 10a e a 14a semana.

E cardiotocografia anteparto?

Feito a partír da 36 semana da gravidez, o exame de cardiotocografia anteparto analisa as contrações do útero e capta os batimentos cardíacos do bebê.

 

O ultra-som é um método que, como todos sabem, permite ver o bebê e até descobrir o seu sexo. Também é usado para observar os órgãos internos dos pacientes.

Dizem por aí que é mais perigoso nascer no oitavo do que no sétimo mês de gravidez, o que não é verdade. É mais perigoso nascer no sétimo mês. Quando maior o tempo que o bebê passa na barriga materna, menor o risco de complicações.

Os enjoos durante estão relacionados a um hormônio chamado HCG, responsável por ajudar os ovários a produzir progesterona e estrógeno nos primeiros meses da gravidez.

Assim que engravidam, as mulheres ficam ansiosas para sentir os primeiros chutes do bebê. Mas é bom segurar a ansiedade por que só dá para sentí-los a partír da 18a semana. O detalhe é que o bebê começa a se mexer na 10a semana de gestação.

A partír da 14a semana, o bebê começa a fazer movimentos de respiração, a engolir o liquido aminiótico e a franzir as sobrancelhas. Na 23a, ele já ouve e reage a ruídos externos.

O sexo do bebê é definido durante a fertilização. Mas quando dá para descobrir se é menina ou menino? A partír da oitava semana através do exame de sangue de sexagem fetal. O exame de ultrassom só consegue descobrir o sexo a partír da 13a semana.

O peso da gestante deve ser controlado levando em conta a sua massa corporal. Se engordar demais, ela corre o risco de ter problemas de diabete gestacional, hipertensão e de ter parto de cesárea.

Afinal, você sabe o que é eclampsia?

É um problema cuja maior característica são os quadros hipertensivos durante a gravidez. O aumento da pressão arterial ocasiona inchaços (o chamado edema), aumento súbito de peso e perda de proteínas através da urina. Nos casos mais graves, pode ocasionar convulsões, sangramento vaginal e até o coma.

E Síndrome Hellp, já ouviu falar?

Mais conhecida como Hellp, é um problema raro que pode levar à morte do bebê e da gestante. O Hellp é muitas vezes confundido com a eclâmpsia. destruição dos glóbulos vermelhos pelo rompimento da membrana plasmática; elevação das enzimas hepáticas e baixa contagem de plaquetas – podendo levar à insuficiência cardíaca e pulmonar, hemorragia interna, acidente vascular cerebral e outras complicações graves na mãe. Foi a Síndorme Hellp que provocou a morte da personagem Diana na antiga novela das 9h00 Passione.

CURIOSIDADES:

Nos primeiros dias de gravidez, o número de células do zigoto (o estágio inicial do feto), dobra a cada 20 horas.

O coração do embrião começa a bater quando ele está com 4 mm (do tamanho de um feijão). Com 1 cm, já é possível identificar coração, cérebro, pernas e braços.

A individualidade do embrião é definida a partír da 3a semana, quando as células do zigoto deixam de se dividir.

Ao final de gravidez, o liquido aminiótico aumenta quase 1 litro e a placenta chega a pesar 600 gramas.

Ao contrário do que a gente vê nos filmes e novelas, a bolsa só se rompe em 15% dos casos.

Apenas 5% dos bebês nascem na data prevista.

O bebê alterna períodos de vigilância e sono, mas, no total, dorme cerca de 16 horas por dia.

Já foram registrados casos de homens com gravidez psicológica.

Uma mulher russa teve 69 filhos entre 1725 e 1765. Foram 27 partos: 16 de gêmeos, 7 de trigêmeos e 4 de quatrigêmeos.

A gravidez mais curta no reino animal é a do musaranho, que dura 18 dias. A mais longa é a do elefante, que dura 24 meses.

A gestação da baleia não é tão longa quando a do elefante. Ela dura “apenas” 11 meses, mas o bebê é certamente o maior. O filhote da baleia-azul (o maior animal da Terra) nasce com quase uma tonelada.

Você sabia que são os machos dos cavalos-marinhos que ficam grávidos? Pois é, a gestação do papai dura dois meses e começa quando a fêmea transfere os ovos de sua bolsa incubadora para dentro da bolsa incubadora do macho.

Cadastra-se
Fotos de Bebê
Ultimos Bebês
sobrinhosGuilhermeGabriel sem camisaGabriel