Arquivos para a ‘Cuidados Na Gravidez’ Categoria

Criança fica imersa em balde para reproduzir posição uterina.
Água deve cobrir o corpo do bebê deixando só a cabeça para fora.
O nascimento e a chegada repentina a um mundo completamente diferente pode não ser tão agradável para todos os bebês. Então, nada melhor do que um banho quentinho que lembre a barriga da mamãe. É isso o que propõe o ofurô para bebês: um banho dado dentro de um balde, com o bebê imerso e na posição vertical.

“No útero da mãe o bebê estava na água, encolhido e acolhido, com o calor da mãe, e a banheira tradicional deixa esse bebê com a barriga para cima, que é a posição mais desagradável. A proposta do ofurô é fazer com que ele resgate um pouco o que sentia na barriga da mãe e se acalme”, diz Ana Cristina Duarte, coordenadora do Grupo de Apoio à Maternidade Ativa (Gama).

Segundo o pediatra e neonatologista Carlos Eduardo Correa, o banho de ofurô não tem contraindicação e pode ser dado em bebês de qualquer idade, desde o seu nascimento. “O banho só traz benefícios para a criança e é um grande estímulo pela relação que o bebê tem com a água”, diz Correa.

A fisioterapeuta Regiane Albertini de Carvalho, mãe de Rafael, de 4 meses, recorre ao banho desde que seu filho tinha apenas 1 mês. “O Rafael já é uma criança calma, mas ele gosta muito do banho. Costumo dar o banho convencional e à noite, antes de dormir, o banho no balde para que ele se acalme e brinque um pouco“, diz a avidadobebe.com.br.

Regiane conheceu o banho por meio da indicação de uma amiga e hoje recomenda. “Utilizo um balde especial, que é feito com um plástico mais resistente“, afirma.

Como deve ser o ofurô

Os pais devem aquecer a água entre 37 e 38 graus, na quantidade suficiente para cobrir o corpo do bebê deixando só a cabeça para fora da água. Corrêa recomenda que o bebê esteja enrolado em um tecido limpo para reproduzir a posição em que a criança ficava no útero. Outra dica do especialista é que o banho seja realizado, se possível, no escuro e em silêncio.

Esse é um banho em que os pais devem estar atentos o tempo todo e o bebê pode ficar no balde até que a água comece a esfriar. É importante que a mãe apoie a cabeça do bebê durante o banho”, diz Ana Cristina. Segundo ela, por estar sempre assistido pela mão, o bebê pode inclusive dormir durante o banho.

Maternidade ativa

Ana Cristina afirma que a manternidade ativa, defendida pelo Gama, é um conceito que diz que os pais precisam fazer escolhas conscientes sobre tudo o que diz respeito ao bebê. “É importante que os pais façam pesquisas para fazer escolhas conscientes para a vida de seus filhos, porque nenhuma escolha é 100% garantida ou perfeita”, diz;

 

Existe mais de um tipo do “Teste do Pezinho”?

Teste do Pezinho: um direito dos brasileiros

A iniciativa da APAE DE SÃO PAULO de trazer para o Brasil, em 1976, um exame conhecido na época como “Screening Neonatal”, deu origem à lei que conferiu o direito a todo recém-nascido brasileiro de realizar o Teste do Pezinho, por meio do Programa Nacional de Triagem Neonatal – PNTN.
Hoje, toda a criança nascida em território brasileiro tem direito ao Teste do Pezinho Básico, totalmente gratuito. Esses exames são realizados em laboratórios oficiais e credenciados pelo Ministério da Saúde e as coletas de sangue são realizadas nas maternidades públicas ou nos postos de saúde.

O Teste do Pezinho é um exame rápido de prevenção que coleta gotinhas de sangue do calcanhar do bebê com a finalidade de impedir o desenvolvimento de doenças que, se não tratadas, podem levar à Deficiência Intelectual e causar outros prejuízos à qualidade de vida das pessoas.

Para que a prevenção seja possível, a coleta deve ser efetuada na primeira semana de vida da criança e as amostras devem ser enviadas o quanto antes para o laboratório.


TIPOS DE TESTES DO PEZINHO DA APAE DE SÃO PAULO:

Teste do Pezinho Básico:
Composto por três diagnósticos: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias.

Teste do Pezinho MAIS:

Composto por dez diagnósticos: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias Deficiência de G-6-PD, Fibrose Cística, Galactosemia, Leucinose, Deficiência de Biotinidase, Hiperplasia Adrenal Congênita e Toxoplasmose Congênita.

Veja o fôlder do Teste do Pezinho MAIS com as informações completas.

Teste do Pezinho SUPER:

Faz o diagnóstico de 40 patologias, é um dos mais completos Testes de Triagem Neonatal existentes. O teste SUPER inclui em seu painel, além de 8 doenças dos Testes do Pezinho BÁSICO e MAIS, outros 32 diagnósticos de aminoacidopatias, defeitos do metabolismo dos ácidos graxos e das acidemias orgânicas, realizados através da avançada tecnologia de Espectrometria de Massas – MS/MS Tandem.

Veja o fôlder do Teste do Pezinho SUPER com as informações completas.

Na APAE na atual data, fomos informado que o teste MAIS custa 240,00.

Segundo especialistas, as jovens têm maior propensão para hipertensão gestacional e parto prematuro; veja como aplacar o quadro

 

De acordo com pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, só em 2009 foram registrados mais de 444 mil partos de adolescentes (de 12 a 18 anos de idade) em todo o Brasil. Segundo o mesmo estudo, estes números vêm caindo significativamente na última década, porém continua preocupando autoridades e a sociedade em geral.

Para Sueli Raposo, ginecologista do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica, a gravidez é um período em que a mulher agrega novos desafios para sua vida. “Além de estar mais sensível, ela tem que lidar com as mudanças do corpo, ampliar hábitos saudáveis e se preparar para cuidar de alguém, educar”, ressalta a especialista.

Na maioria dos casos, as adolescentes não estão preparadas física e psiquicamente para essas alterações em sua vida. Por conta disso, as campanhas do Ministério da Saúde e de outras instituições à conscientização sobre sexo, uso de camisinha e acompanhamento da gravidez são tão importantes no Brasil.

O estudo do Ministério da Saúde aponta também que a redução de partos em adolescentes foi mais efetiva em 2009, com queda de 8,9% em relação a 2008. As autoridades acreditam que essa diminuição está atrelada ao investimento R$ 3,3 milhões em ações de educação sexual e na ampliação do planejamento familiar. Além disso, em dois anos foram distribuídos 871,2 milhões de preservativos nos postos de saúde para toda a população.

Apesar da significativa melhora nos índices, as preocupações com relação a este tema ultrapassam as questões preventivas. As gestantes, adolescentes ou não, precisam se conscientizar sobre a importância de um acompanhamento médico durante toda a gravidez, o pré-natal.

Segundo a Sueli, na adolescência o pré-natal é ainda mais significativo, já que muitas vezes o corpo pode estar ainda em desenvolvimento e não preparado para gerar um bebê. “É importante que as adolescentes entendam que uma gravidez com complicações pode trazer riscos para sua própria vida. A gestação precoce aumenta os riscos de hipertensão e parto prematuro”, acrescenta.

A ginecologista selecionou abaixo os principais exames gestacionais que devem ser realizados, independente da idade. “Ao consultar um médico, a gestante terá maior segurança desde o princípio da gravidez, poderá antecipar diagnósticos e até tratar o feto de acordo com os avanços da medicina”, completa a Sueli.

 

1º Trimestre de gestação
1. Hemograma Completo
2. Tipagem Sangüínea
3. Glicemia de Jejum
4. Sorologia para Sífilis (VDRL e FTA Abs), HIV, Hepatite B e C, Toxoplasmose, Rubéola e Citomegalovírus
5. Uréia, creatinina
6. Urina I, cultura e antibiograma
7. PPF (Protoparasitológico de Fezes)
8. Papanicolaou
9. Ultra-som Obstétrico Endovaginal ou Transvaginal com translucência nucal entre 11 e 14 semanas.
10. TSH e T4 Livre
11. Coombs Indireto – nas pacientes Rh negativo.

 

2º trimestre de gestação
1. Ultrassom Morfológico entre 20 e 23 semanas
2. Urina I, cultura e antibiograma
3. Hemograma, Vdrl, glicemia, toxoplasmose.

 

3º trimestre de gestação
1. Ultrassom Obstétrico com Doppler colorido
2. Cardiotocografia
3. Perfil Biofísico Fetal, se necessário
4. Dosagem de Uréia, Ácido úrico e Creatinina, se necessário
5. Hemograma, glicemia, Vdrl, Hiv, Toxoplasmose
6. Urina I, cultura e antibiograma
7. Curva Glicêmica, se necessário.

A gradivez não é só coisa de mulher, apesar do Papai biologicamente não poder gerar um filho, o Papai tambem pode participar de tudo e até sentir os sintomas. A maioria das gestantes não acredita que seus parceiros entendam o que esta acontecendo, os futuros Papais não entendem ou demoram a entender, leem, tentam ajudar, acompanha a gestante, falam para todo mundo como é, mas sem sombra de dúvida eles ficam perdidos, por isso vamos tentar descrever um pouco de como participar dessa linda fase da mulher.

Medos vença o seus

Quando você recebe a noticia que vai ser Papai, é uma mistura de sentimento e pensamentos, isso é tudo normal com todos os homens. Sentimentos de alegria, preocupação, medo e etc… é normal, pensar em um monte de coisa ao mesmo tempo, será que ele vai se formar tudo direitinho?, será que vai ocorrer tudo certo no parto?, será que vou ser um bom Papai?, será que ele vai ser um bom filho?

Pensar em tudo isso é normal, pois a preocupação, anciedade e medos são revelados. Mas a maneira mais facil de lidar com esta nova fase de sua vida é conversar com sua parceira, com seus pais, seu amigos do trabalhos que são bons ouvintes e muitos ja tem alguma experiência ou ja são expert no assunto.

De atenção e seja ativo

É possivel participar de tudo, observe e fique atento e, sempre ativo. Mostre para sua companheira que o corpo dela esta mudando, mas que acima de tudo você esta adorando esta mudança. Filme ou fotografe varios momento das gravidez, faça montagens, desenhe na barriga dela, faça o que tiver que fazer para que ela fique feliz.

Não pode esquecer de uma boa massagem em todo o corpo, pois por causa da barriga ela cansa facil, sinta o bebê chutar.

Acompanhe a gestantes na idas ao medico e nos exames, principalmente em Ultra-sonografia, que você vai começar a entender e perder alguns medos. Cadastre-se seu email para receber novidade, informações, tudo para bebê, você sempre vai esta atenado sobre as mudanças da companheira e de seu filho, assim você será muito util.

Sempre Presente

Sempre que possivel acompanhe as consultas do pré-natal, sempre vai ver como seu filho esta se desenvolvendo no exame de ultra-sonografia.  Caso a mamãe tenha que fazer um exame amniocentese ou algum outro para detectar eventuais alterações genéticas, sempre esteja presente.

Se possivel procure um curso de pré-natal da maternidade, pode ser em outra maternidade, se informe. No curso você vai aprender como será as mudanças no corpo da mamãe, como fazer exercicios para relaxamento, como será na hora do parto e principalmente como cuidar do filho(pós parto). No curso geralmente você fala com cada especialista (Obstetra, Anestesista,enfermeira,psicologa, nutricionista e etc.., então se tem duvidas sobre algo, esta é a hora de tirar

Saúde é o que interessa

A futura Mamãe durante a gestação vai ter que fazer uma dieta bem equilibrada, não poderá fumar e nem consumir bebidas alcoólicas, e sempre ingerir muito líquidos, sempre lembre de compra uma garrafinha de agua mineral. Papai aproveite para muda de vida e de alimentação, adote uma vida mais saudavel e facil para futura Mamãe.

Papai nada de levar a futura Mamãe para lugares que contem alimentação que os médicos desaconselham. E neste momento que você pode parar com vicios como álcool e qualquer tipo de fumo. Procure gastar o seu tempo com atividades saudáveis, um bom passeio ao ar livre é um bom exemplo.

Mostre a felicidade por todas as mudanças no corpo dela

Durante a gravidez a maioria das futuras Mamães se sentem pouco atraentes e até feias, pode ser que você ache estranho ou até concorde mas nunca diga a ela.

Outra coisa bastante comum é que o relacionamento entre vocês dois fique um tanto de lado. As mudanças hormonais, as dores nas costas, os enjôos e toda a agitação da vida podem, temporariamente, tornar a vida sexual do casal menos interessante.

Seja prestativo

É bem capaz que sua mulher esteja meio exigente e mandona ultimamente. Procure relevar, já que grande parte do trabalho duro está por conta dela. Vá às compras, tente mimá-la com presentinhos e esteja pronto para satisfazer aquele maluco desejo de pickles ou de milk-shake de chocolate bem no meio da noite.

Estude bem o caminho para o hospital

A presença de uma mulher em trabalho de parto dentro de um carro não é a melhor situação para alguém adivinhar caminhos. Por isso, conheça bem o trajeto rumo à maternidade, estude a rota menos congestionada, mantenha o tanque cheio e, o mais importante de tudo, esteja sempre acessível para receber a famosa chamada dizendo: “Chegou a hora”.

Siga o que sua mulher pedir durante o trabalho de parto

Descubra o que sua parceira quer que seja feito quando ela estiver em trabalho de parto. Algumas grávidas gostam de massagens, querem ajuda para mudar de posição ou buscam conforto na sua presença. Outras podem não querer que você encoste nem um dedinho no corpo delas.

Prepare-se para estar despreparado

Por incrível que pareça, os nove meses de gravidez passam tão rápido que a experiência pode ser um tanto assustadora. Procure encará-la como um momento único na sua vida, e não se preocupe se vocês não tiverem tudo absolutamente pronto quando o bebê nascer.

A beleza da chegada de um filho é que temos a vida inteira pela frente para ir acertando os ponteiros.

Quando vou sentir meu bebê mexer?

Se esta é sua primeira gravidez, talvez demore um pouco mais para você perceber os movimentos do bebê, porque é uma sensação totalmente nova — algumas mulheres a descrevem como uma cosquinha bem de leve, por dentro, como uma borboleta batendo asas.

No caso de primeira gravidez, você provavelmente sentirá os primeiros movimentos entre 18 e 20 semanas. Quem não é marinheira de primeira viagem e já conhece a sensação costuma senti-la pela primeira vez entre 15 e 18 semanas.

Para tentar sentir, você pode comer alguma coisa e se deitar de barriga para cima, bem parada, prestando atenção. Talvez a sensação apareça.

A primeira vez que você sentir o bebê será um marco na sua gravidez. E depois aqueles movimentos tão levinhos viram chutes vigorosos, ótimos para mostrar que tudo vai bem dentro da sua barriga.

O que o bebê fica fazendo lá dentro?

Ultrassons conseguem mostrar o que os bebês fazem em cada fase da gravidez, já que a maioria dos movimentos começa bem antes de você perceber:

• entre sete e oito semanas, os movimentos gerais se iniciam, como viradas de lado e aqueles movimentos involuntários que parecem sustos

• com cerca de nove semanas, o bebê já tem soluços, balança uma perna ou um braço por conta própria, consegue chupar e engolir

• com 10 semanas, ele flexiona e vira a cabeça, traz as mãos até o rosto, abre a boca e se estica

• com 11 semanas, a graça é bocejar

• com 14 semanas, o bebê movimenta os olhos

Depois dos primeiros movimentos, que parecem asinhas de borboleta batendo, o mexe-mexe fica mais intenso e mais frequente. Conforme o bebê vai crescendo, a sensação muda, e você começa a sentir trancos e chutes, que vão ficando cada vez mais fortes.

O bebê não se mexe o tempo inteiro porque, como todo mundo, tem horas em que ele só quer mesmo é descansar e dormir. Mais no finzinho da gravidez, ele passa a dormir por cerca de 45 minutos de cada vez. Pode parecer mais, porque você não necessariamente sente todos os movimentos dele.

Veja a seguir um esquema do que esperar durante a gravidez em relação aos movimentos.

De 20 a 24 semanas

A atividade do bebê vai aumentando gradualmente. A partir de agora, o bebê terá um período mais agitado durante o dia, com muitos chutes e cambalhotas.

De 24 a 28 semanas

Pode ser que você note agora os soluços, que vão explicar os pulinhos que você vai sentir de vez em quando. O saco amniótico contém até 750 ml de líquido nessa fase, o que permite ao bebê se movimentar bastante. Ele consegue ouvir, por isso você pode perceber que ele reage a barulhos altos.

29 semanas

Seu bebê vai começar a fazer movimentos mais definidos e menos bruscos, já que está mais contido pelas paredes da sua barriga.

32 semanas

O nível de atividade chega ao auge. Depois desta semana, você vai notar uma diminuição de movimentos, algo bastante normal devido ao menor espaço dentro do útero para ele se mexer.

Cerca de 36 semanas

O bebê pode assumir sua posição definitiva no útero, normalmente de cabeça para baixo. Isso é mais provável de ocorrer se este é seu primeiro filho, já que os músculos do seu útero e do seu abdome vão ajudá-lo a ficar no lugar. Se você já ficou grávida antes, seus músculos não serão tão firmes e o bebê pode ficar mudando de posição até a data do parto.

Os principais movimentos que você vai sentir são cotoveladas, chutes e joelhadas — às vezes dolorosos, quando acertam suas costelas.

De 36 a 40 semanas

Seu bebê vai crescendo e as cambalhotas vão ficando menos frequentes. Se ele estiver chupando o dedo e por acaso o dedo escapar da boca dele, você pode sentir movimentos rápidos da cabecinha virando de um lado para o outro em busca do dedo perdido. Nas últimas duas semanas da gravidez, os movimentos diminuem um pouco, junto com o ritmo de crescimento do bebê. Isso é absolutamente normal, mas se algo estiver preocupando você, é sempre bom conversar com o médico.

A esta altura, o bebê já deve estar acomodado na sua bacia, pronto para a jornada de vir ao mundo. A cabeça dele muitas vezes pode parecer como se um melão estivesse fazendo pressão nos músculos pélvicos, o que torna difícil o simples ato de se sentar.

Talvez fique mais fácil respirar ou comer, já que seus pulmões e seu estômago estarão menos espremidos. Se sua parede abdominal ficar bem fina, às vezes dá até para distinguir o pé do bebê.

Há momentos em que ele está dormindo e outros em que está acordado e ativo, justo quando você está tentando dormir. Esse padrão de sono da vida uterina pode acabar se mantendo nas primeiras semanas depois do nascimento, até que o bebê aprende a diferenciar o dia da noite.

Quantos chutes devo sentir por dia?

Não existe um número exato de chutes por dia para se ter certeza de que tudo vai bem, e mesmo que você resolvesse marcar para contar para o médico, os resultados não seriam precisos e poderiam causar preocupação sem necessidade.

O melhor a fazer é observar o padrão de movimentos do seu filho durante as horas ativas do dia. À medida que sua gestação progride, fica mais fácil entender o ritmo do bebê. Cada criança tem um padrão diferente de sono e atividade, mas você acaba percebendo o que é típico da sua.

Caso note alguma mudança nesse padrão, converse com seu médico o mais rápido possível.

Ainda não senti meu bebê mexer hoje. Devo ficar preocupada?

Se você estava envolvida com outras coisas, talvez não tenha percebido o movimento. Mas, para se tranquilizar, veja abaixo alguns truques para fazer seu bebê se mexer:

• Deite de lado (com uma almofada ou travesseiro debaixo da barriga) e fique parada

• Coloque as pernas para cima e relaxe; os bebê muitas vezes acabam pegando no sono com a sua movimentação e acordam quando você para

• Toque uma música ou faça um barulho inesperado

• Tome alguma coisa gelada: a mudança de temperatura pode fazer com que o bebê tente “desviar” da onda fria

Feito tudo isso, se em duas horas você não sentir absolutamente nenhum movimento, procure o obstetra.

O preferível é confiar nos seus instintos: se você acha que há motivo para estar preocupada, tente falar com o médico. Um exame rápido pode tranquilizá-la.

Para algumas mulheres, o sinal mais claro de que estão grávidas é a ausência de menstruação. Mas há outros: dores de cabeça, cólicas abdominais, enjoos, escurecimento dos mamilos, seios inchados e aumento da vontade de fazer xixi.

Alterações fisiológicas no corpo da mulher durante a gravidez:

  1. – Os seios aumentam de tamanho e os mamilos podem ficar mais escuros.
  2. – A dilatação do útero comprime a bexiga, dando vontade de urinar a todo instante.
  3. – O volume de sangue cresce 50%, aumentando os batimentos cardíacos.
  4. – Até o fim da gravidez, o tamanho do útero aumenta 20 vezes.

Quais exames devem ser feitos durante o tempo em que o bebê está na barriga da mãe (o pré-natal)?

Anote aí:

  • Ultrassom
  • Translucência nucal
  • Dopler do ducto venoso
  • Cardiotocografia anteparto

Um detalhe muito importante: os médicos recomendam, no mínimo três ultrassons, feitos entre a 8a e a 36a semana de gravidez.

O que é translucência nucal?

É um exame feito entre a 10a e a 14a semana de gravidez que detecta anomalias cromossômicas no feto.

E o que que é Dopler do ducto venoso?

É um exame que, como a translucência, detecta problemas de má-formação da criança. É feito entre a 10a e a 14a semana.

E cardiotocografia anteparto?

Feito a partír da 36 semana da gravidez, o exame de cardiotocografia anteparto analisa as contrações do útero e capta os batimentos cardíacos do bebê.

 

O ultra-som é um método que, como todos sabem, permite ver o bebê e até descobrir o seu sexo. Também é usado para observar os órgãos internos dos pacientes.

Dizem por aí que é mais perigoso nascer no oitavo do que no sétimo mês de gravidez, o que não é verdade. É mais perigoso nascer no sétimo mês. Quando maior o tempo que o bebê passa na barriga materna, menor o risco de complicações.

Os enjoos durante estão relacionados a um hormônio chamado HCG, responsável por ajudar os ovários a produzir progesterona e estrógeno nos primeiros meses da gravidez.

Assim que engravidam, as mulheres ficam ansiosas para sentir os primeiros chutes do bebê. Mas é bom segurar a ansiedade por que só dá para sentí-los a partír da 18a semana. O detalhe é que o bebê começa a se mexer na 10a semana de gestação.

A partír da 14a semana, o bebê começa a fazer movimentos de respiração, a engolir o liquido aminiótico e a franzir as sobrancelhas. Na 23a, ele já ouve e reage a ruídos externos.

O sexo do bebê é definido durante a fertilização. Mas quando dá para descobrir se é menina ou menino? A partír da oitava semana através do exame de sangue de sexagem fetal. O exame de ultrassom só consegue descobrir o sexo a partír da 13a semana.

O peso da gestante deve ser controlado levando em conta a sua massa corporal. Se engordar demais, ela corre o risco de ter problemas de diabete gestacional, hipertensão e de ter parto de cesárea.

Afinal, você sabe o que é eclampsia?

É um problema cuja maior característica são os quadros hipertensivos durante a gravidez. O aumento da pressão arterial ocasiona inchaços (o chamado edema), aumento súbito de peso e perda de proteínas através da urina. Nos casos mais graves, pode ocasionar convulsões, sangramento vaginal e até o coma.

E Síndrome Hellp, já ouviu falar?

Mais conhecida como Hellp, é um problema raro que pode levar à morte do bebê e da gestante. O Hellp é muitas vezes confundido com a eclâmpsia. destruição dos glóbulos vermelhos pelo rompimento da membrana plasmática; elevação das enzimas hepáticas e baixa contagem de plaquetas – podendo levar à insuficiência cardíaca e pulmonar, hemorragia interna, acidente vascular cerebral e outras complicações graves na mãe. Foi a Síndorme Hellp que provocou a morte da personagem Diana na antiga novela das 9h00 Passione.

CURIOSIDADES:

Nos primeiros dias de gravidez, o número de células do zigoto (o estágio inicial do feto), dobra a cada 20 horas.

O coração do embrião começa a bater quando ele está com 4 mm (do tamanho de um feijão). Com 1 cm, já é possível identificar coração, cérebro, pernas e braços.

A individualidade do embrião é definida a partír da 3a semana, quando as células do zigoto deixam de se dividir.

Ao final de gravidez, o liquido aminiótico aumenta quase 1 litro e a placenta chega a pesar 600 gramas.

Ao contrário do que a gente vê nos filmes e novelas, a bolsa só se rompe em 15% dos casos.

Apenas 5% dos bebês nascem na data prevista.

O bebê alterna períodos de vigilância e sono, mas, no total, dorme cerca de 16 horas por dia.

Já foram registrados casos de homens com gravidez psicológica.

Uma mulher russa teve 69 filhos entre 1725 e 1765. Foram 27 partos: 16 de gêmeos, 7 de trigêmeos e 4 de quatrigêmeos.

A gravidez mais curta no reino animal é a do musaranho, que dura 18 dias. A mais longa é a do elefante, que dura 24 meses.

A gestação da baleia não é tão longa quando a do elefante. Ela dura “apenas” 11 meses, mas o bebê é certamente o maior. O filhote da baleia-azul (o maior animal da Terra) nasce com quase uma tonelada.

Você sabia que são os machos dos cavalos-marinhos que ficam grávidos? Pois é, a gestação do papai dura dois meses e começa quando a fêmea transfere os ovos de sua bolsa incubadora para dentro da bolsa incubadora do macho.

Cuidamos do nosso corpo diariamente, mas muitas vezes não temos tempo de passar aquele creminho depois do banho, almoçar de maneira correta ou tomar a quantidade de água necessária. Com o passar dos anos, esses errinhos vão se acumulando e acabam trazendo incômodos, como o excesso de peso, celulite, flacidez, manchas na pele, entre muitos outros. Segundo uma pesquisa, as estrias estão em segundo lugar no ranking das maiores preocupações das brasileiras quando o assunto é estética. As estrias se formam a partir da ruptura das fibras elásticas da pele. Por se tratar de um problema epitelial, ninguém está livre das estrias. Entre as maiores vítimas estão as mulheres grávidas, as pessoas que sofrem com o “efeito sanfona” e até mesmo os homens podem sofrer desse mal. Mas assim como as estrias se multiplicam na nossa pele, a cada dia aumenta o número de tratamentos disponíveis em clínicas e consultórios para acabar com essas marcas tão indesejáveis.

 

 

A formação das estrias


A pele é um tecido extremamente flexível, pois é formado por fibras elásticas – compostas por colágeno e elastina – que permitem que os membros se estiquem para fazer qualquer movimento e, em seguida, retornem ao lugar original. Mas como todo excesso é prejudicial, com o tempo o esforço exagerado pode acabar sobrecarregando as fibras elásticas, que perdem sua capacidade. Algumas fibras podem chegar até a se romper. E é aí que temos o surgimento das estrias. Elas são cicatrizes que aparecem na pele a partir da ruptura das fibras de sustentação. Em geral, o aparecimento das estrias é marcado por um estiramento abrupto da pele. Muitas vezes as estrias não vão ficar aparentes imediatamente. Algumas pessoas notam o aparecimento das listras apenas quando emagrecem. Isso é bastante comum, já que ao perder peso a pele fica flácida e é possível ver as marcas com mais facilidade. Por se tratar de uma cicatriz, não existe nenhum tratamento que elimine totalmente uma estria. Mas os avanços da estética permitem amenizar muito a aparência da pele, fazendo com que as cicatrizes fiquem quase invisíveis.

As principais causas das estrias

Entre as causas mais comuns para o surgimento de estrias está a falta de hidratação constante associada às distensões e estiramentos abruptos da pele. Essas causas costumam acontecer nas seguintes situações:

  • “Efeito sanfona”: para as pessoas que ganham e perdem peso de maneira muito rápida é bastante comum o aparecimento das listras. As estrias se formam porque, quando ocorre o aumento de peso rapidamente, o organismo não consegue duplicar as células da epiderme na mesma proporção do que as células de gordura. Por esse motivo, as estrias costumam aparecer nas regiões onde ocorre o maior acúmulo de gordura – no bumbum, na barriga, nos braços, nas coxas e nos seios.
  • Gravidez:os hormônios, o ganho natural de peso e o estiramento da pele na região da barriga podem resultar no surgimento de estrias. O ideal é controlar o peso e manter a pele sempre hidratada com óleos e cremes específicos para gestantes.A adolescência e a “fase do estirão”:quando o corpo cresce muito rapidamente durante a puberdade ou a adolescência, o organismo não tem tempo para se adaptar às mudanças e a pele acaba sofrendo as consequências. Por isso, é bastante comum vermos adolescentes magros, mas que apresentam estrias.Falta de hidratação:uma pele ressecada – seja pelo sol ou pela falta de hidratação – fica mais frágil e propensa a sofrer a ruptura das fibras de sustentação. Evite banhos quentes e aposte nos hidratantes para se prevenir.Ganho abrupto de massa muscular:o ganho de músculos exige que a pele estique para comportar o novo tamanho da massa muscular. Quando o aumento acontece de maneira muito rápida, a pele estica excessivamente e as fibras elásticas se rompem. Um profissional de educação física pode ajudar no controle dos seus exercícios para que o ganho de músculos ocorra de maneira gradual e evite o aparecimento de estrias.
  • Hormônios: é fato que as mulheres têm propensão ao aparecimento das estrias por conta de dois hormônios presentes no organismo feminino – a progesterona e o estrógeno – que são os principais responsáveis pela ruptura das fibras elásticas da pele. Mas os homens também podem apresentar o problema que, em geral, surge com o ganho excessivo de peso ou falta de hidratação da pele.

Prevenindo o aparecimento de novas estrias

Uma vez que as estrias se instalam na pele não é possível reverter o processo. Mas como as listras passam por um “amadurecimento”, assim que você notar uma manchinha na pele, já pode procurar um dermatologista. No primeiro estágio, as estrias aparecem com coloração rosada ou avermelhada. Nessa fase, elas ainda são consideradas jovens e, por possibilitarem a cicatrização, são mais fáceis de serem tratadas através do estímulo da produção de colágeno. Nesse momento ainda é possível apagar as marcas que a pele apresenta com hidratantes ou cremes específicos. Basta procurar um dermatologista o quanto antes para ele indique o produto mais adequado. O segundo estágio das estrias é após o “amadurecimento” em que as listras ficam “adultas” e apresentam um aspecto esbranquiçado. Quando as marcas chegam nessa fase, o tratamento deve ser mais intenso para forçar a reposição de colágeno e reativar a atividade circulatória da região. Então, para essas estrias é preciso recorrer a tratamentos mais avançados.

A palavra chave para prevenir as estrias é hidratação. Mas é preciso investir em produtos poderosos, que realmente ajam na relação da água com a pele. Procure produtos que estimulem a produção de água ou aqueles que formam uma película que evita a perda de água durante o dia. Confira os rótulos dos cremes hidratantes e invista em substâncias como ureia, PCA-Na ou D-Pantenol. Também existem óleos que agem de maneira muito eficaz contra o ressecamento, como é o caso do óleo de amêndoas, de rosa mosqueta e de uva. Se preferir, peça para seu dermatologista indicar uma fórmula de manipulação. Depois de escolher seu hidratante, use-o diariamente. O momento ideal para passar o creme é logo após o banho, quando a pele absorve mais facilmente o produto e aproveita melhor suas propriedades. A alimentação também pode ajudar nessa luta. É importante consumir alimentos ricos em proteína, que é o nutriente responsável pela formação de colágeno no organismo. Sem proteínas, a formação do colágeno não ocorre e a pele fica suscetível ao rompimento das fibras. Controlar o peso, evitar banhos muito quentes e utilizar protetor solar sempre também são ótimos passos para se ver longe das estrias.

Tratamentos eficazes

Os melhores tratamentos no combate às estrias são aqueles que estimulam a produção de colágeno no organismo, reativam o fluxo circulatório da região e provocam a cicatrização de forma a recuperar o tecido e minimizar o aspecto que as listras deixam na pele. Basicamente, existem três métodos bastante eficazes contra as estrias:

  • Tratamentos químicos:feitos com cremes ou peelings à base de ácidos, que visam à regeneração celular;
  • Tratamentos térmicos:feitos com lasers direcionados para a área afetada – também chamados de fototermólise seletiva –, estimulando a cicatrização e a produção de colágeno;
  • Tratamentos mecânicos: feito por meio da microdermoabrasão, que promove um lixamento da pele com cristais, deixando as estrias menos visíveis ao promover o clareamento da pele.

Entre os métodos descritos acima, os mais comuns são:

  • Fraxel Laser: esse laser trata estrias nos dois estágios, mas é o mais indicado para estrias adultas. Através de microperfurações na pele, a luz estimula a produção de colágeno. Com três sessões é possível minimizar em 90% o aspecto de estrias jovens. Em cinco sessões, a melhora das estrias adultas é de até 70%. As sessões devem ser feitas com intervalos de 15 a 30 dias.
  • Luz pulsada:por ser um tratamento de laser mais leve, muito usado para tirar pequenas manchas da pele, é ideal para tratar estrias no primeiro estágio. Com 5 a 8 sessões é possível deixá-las praticamente invisíveis.
  • Cremes à base de ácido retinoico:os cremes são indicados pelos dermatologistas e devem ser usados diariamente na região afetada. A função do ácido retinoico é promover a renovação celular e assim estimular a formação de novas fibras de sustentação.
  • Peeling de cristal: com o uso de microcristais é feito uma espécie de lixamento na pele. Assim, o peeling elimina delicadamente a camada mais externa, promovendo a regeneração celular. Se aplicado sobre estrias adultas, deixa a região com um aspecto renovado.
  • Peeling químico:são aplicados alguns tipos de ácidos, diretamente sobre a pele, de forma a esfoliar e provocar a renovação das células. A regeneração celular ameniza o aspecto estriado da pele. Alguns casos apresentam uma melhora de 50% a 80%.
  • Transcisão: é um procedimento cirúrgico que requer mais cuidados e é indicado para áreas bastante afetadas. Com o auxílio de uma agulha fina, o médico faz uso de um microbisturi específico para tratar estrias. Ao descolar as laterais da pele com o instrumento, o profissional faz com que as fibras elásticas do local se rompam. Assim, a estria acaba sendo preenchida por colágeno novo e suas bordas se unem, amenizando o aspecto das estriado. Os resultados são bastante satisfatórios, mas como se trata de um procedimento cirúrgico é preciso ter alguns cuidados especiais, como o uso de uma cinta elástica por três meses após o tratamento.

E lembre-se! Sempre que a sua pele apresentar alguma alteração, procure um dermatologista. O dermatologista é o profissional capacitado para analisar a pele de cada paciente e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Quanto antes você começar a tratar o problema, mais cedo a sua pele ficará linda e impecável.

Muito antes de seu nascimento e ainda no ambiente intra-uterino, tem  início     a formação do vínculo entre a futura mamãe e seu     bebê.    Trata-se de um processo de comunicação tão complexo quanto     sutil e  que torna possível esta troca íntima e profunda. O vínculo     é de  importância vital para o feto, pois precisa se sentir desejado     e  amado para propiciar a continuação harmoniosa e saudável     de seu  desenvolvimento.

A formação do vínculo não é automática     e  imediata, pelo contrário, é gradativa e, portanto, necessita     de  tempo, compreensão e amor para que possa existir e funcionar  adequadamente.     É, também, fundamental para que possa compensar os  momentos de     preocupações e reveses emocionais maternos e que todos  nós     estamos sujeitos no cotidiano.

O amor e a rejeição  repercutem sobre a criança muito precocemente     mas, para que possa  dar significado a estes sentimentos é preciso maturidade      neuro-fisiológica. Assim, até os três primeiros meses de     vida  intra-uterina, as mensagens enviadas pela mãe são, em grande     parte,  incompreendidas pelo embrião, muito embora possam causar-lhe desconforto     se percebidas como desagradáveis.

À medida que vai  evoluindo, o feto torna-se capaz de registrar e de     dar significado  às emoções e sentimentos maternos. É     quando, então, começa a se  formar sua personalidade, o que ocorre     por volta do terceiro  trimestre de gestação.     A ansiedade materna é, de certa maneira,  até benéfica ao     feto, pois perturbando a neutralidade do ambiente  uterino, perturba-o também,     conscientizando-o de que é um ser  distinto, separado desse ambiente.

Para se livrar desse  desconforto, ele começa a elaborar progressivamente     técnicas de  defesa como dar pontapés, mexer-se mais ativamente,     e que funcionam, para a sensibilidade materna, como um envio de mensagem de     que está sendo perturbado. Se houver sintonia materno-fetal, imediatamente     a futura mamãe capta esta mensagem e começa a passar a mão      delicamente em seu ventre, o que é percebido e decodificado pelo feto     como atitude de compreensão, carinho e proteção, portanto,     como  tranqüilizadora.

Com o decorrer do tempo, a experiência de  desconforto transforma-se em     emoção e tem início a formação de  idéias     sobre as intenções maternas em relação a si mesmo.      Desta maneira, se a mãe for amorosa e tiver uma relação     afetiva rica com seu bebê, contribuirá para que nasça uma     criança confiante e  segura de si. Assim também, se mães     deprimidas ou ambivalentes que,  por uma razão qualquer, privam o feto     de seu amor e apoio,  certamente favorecerão o estado depressivo e a presença     de neuroses  na criança e que podem ser constatados após o nascimento,     pois sua  personalidade foi estruturada num clima de medo e angústia.

Mesmo a gestante que rejeita seu filho comunica-se com ele através do      fornecimento do alimento. Mas, a qualidade desse vínculo é diferente     da mãe que o deseja e esta é a grande diferença, pois não     é apenas  uma comunicação biológica.

Como o feto capta todas as emoções  maternas, as que o fazem entrar     em sofrimento como a ansiedade,  temor e incertezas, provocam-lhe reações     mais fortes e contínuas,  enquanto que as de alegria e felicidade, por     não alterarem o  ambiente intra-uterino, permitem que seus movimentos     permaneçam  suaves e harmoniosos.

O feto sente o que a mãe sente, até como  um atitude de solidariedade,     porém, com intensidade diferente e sem a compreensão materna.     As emoções negativas são percebidas como um  ataque a si     próprio.

É fundamental lembrar que as  preocupações passageiras     e simples do cotidiano não lhe oferecem  risco algum, pois sequer podem     levar o organismo materno à produção  de hormônios.     O que o afeta e prejudica sobremodo são as situações  que     induzem à produção intensa e contínua de hormônios,     como a  ansiedade materna, que pode, inclusive provocar o estresse da mãe.

Outras situações que também acarretam o sofrimento fetal     são o consumo  excessivo de álcool, tabaco e medicamentos pela     gestante, bem como, o fato de comer demais ou se alimentar mal, pois traduzem     uma grande e exacerbada ansiedade materna, além de que, também     são altamente  prejudiciais ao desenvolvimento físico e psíquico     do feto.

Um fator importantíssimo a ser considerado é quando a mulher     é  completamente dependente do cigarro. Neste caso, se a supressão      total deixa-a extremamente ansiosa, há de fazer muito mais mal à      criança do que simplesmente diminuir consideravelmente o número     de  cigarros até atingir a média de um ou dois por dia, e nada     mais além disto.

Se o feto participa de todas as emoções maternas, muitas gestantes     inibem a sexualidade por sentirem-se constrangidas com  esta participação,     principalmente no momento do orgasmo e dos sons e ruídos emitidos pelo     casal.

Apesar disso, convém esclarecer que a atividade sexual não traz     qualquer malefício. Ao contrário : o orgasmo, especialmente na     mulher, é altamente benéfico física e  emocionalmente, e     é através dele que o feto capta o bem-estar geral  da mãe,     a felicidade intensa e, principalmente a tranqüilidade após o orgasmo     e não este propriamente.

Os acontecimentos graves e estressantes como perdas significativas ou situações     que atingem a  gestante diretamente, como brigas conjugais ou com pessoas mais      próximas, são causas de grande sofrimento fetal e, muitas vezes,     não há como evitá-los.

Para diminuir os efeitos nocivos ao feto, a  futura mamãe deve aumentar     os períodos de descanso, oferecer-lhe  apoio afetivo e conversar com ele,     esclarecendo-o dos  acontecimentos.     Embora não haja compreensão das palavras, o feto  capta o sentido     do que lhe é dito e se tranqüiliza. Assim, o vínculo mãe-bebê     não é quebrado.

O perigo maior persiste quando o  feto percebe-se rejeitado pela mãe     ou quando suas necessidades  físicas ou psicológicas não     são compreendidas e atendidas, pois ele  necessita desta troca para sentir-se     amado e desejado.

Concluindo, se o vínculo materno-fetal não foi consolidado durante     o período  gestacional, há de se tentar nas horas e dias que sucedem     ao  nascimento, que é o período ideal na vida extra-uterina e,     se  necessário, com a ajuda de um profissional capacitado.

 

Ana Maria Morateli da Silva Rico

Psicóloga Clínica

O ambiente intra-uterino é o primeiro universo que o ser humano  conhece     e onde se originam as primeiras percepções que irão  determinar     o modo como ele se relacionará com o mundo aéreo,  especialmente     na primeira infância.

Tudo o que acontece  durante esse período é esquecido ao nascer,     porém fica registrado no inconsciente. Ao vivenciar situações     semelhantes, a criança atuará  segundo os mesmos padrões     de comportamento adquiridos na vida  gestacional.

Estruturalmente, o embrião humano já vem programado para a linguagem     desde a concepção. Muito antes de ouvir, o que  ocorre por volta     do terceiro trimestre de vida pré-natal, o feto  capta as vibrações     dos sons das palavras emitidas pela voz materna,  com todas as emoções     que as acompanham.

Com o tempo, vai  aprendendo a simbolizá-las, ou seja, dar-lhes um significado.     Sendo  involuntárias as reações fisiológicas maternas,     como alteração de  seu batimento cardíaco, pressão     arterial e produção hormonal, a  futura mamãe não     pode evitar que o bebê capte seus sentimentos de  maior angústia,     ansiedade ou estresse, pois o ambiente intra-uterino sai da neutralidade e o     coloca em sofrimento.

Neste  momento, se a gestante conversar com seu filho, esclarecendo o que está     ocorrendo, como está se sentindo e como se sente em relação     a  ele, libera os sentimentos, principalmente os mais negativos e diminui a intensidade     da angústia, mantendo-se dentro de certo equilíbrio  emocional,     o que certamente será percebido por ele, pois o ambiente  uterino tornar-se-á     menos agressivo e, portanto, mais neutro.

Esta relação de troca com o feto é fundamental para a     formação e  fortalecimento do vínculo materno-filial. Funciona     como atitude de  respeito e amor pela saúde e bem-estar da criança     que está sendo  gestada.

Durante os meses de gravidez, o feto está diretamente  ligado a tudo     o que a mãe pensa, sente e fala a seu respeito. Em  certo nível,     estão em comunicação direta e permanente. Ele sente as     mesmas emoções que ela e é por elas moldado. Aqui entra,     desta  forma, a importância do ambiente social e familiar mais próximo,     em  especial, a figura paterna. Se tudo o que toca a mãe, toca-o também,     muito cedo o feto percebe a influência que o pai exerce sobre ela e,  conseqüentemente,     sobre ele.

Muito embora alguns pais  sintam-se excluídos fisiologicamente desta     relação, emocionalmente  estão tão ligados quanto     a figura materna e é de extrema importância que adquiram esta compreensão     muito cedo, para que a relação  familiar possa se desenvolver com     maior harmonia e união.

São muitos os futuros papais e mamães que dizem se sentir constrangidos     ao conversar com uma barriga. Este é o conceito mais equivocado, pois     dentro do ventre materno existe um ser em formação e que necessita     desta comunicação para se sentir amado, desejado, compreendido     e  respeitado.

A língua ouvida pelo feto será a sua língua e é      por este motivo que terá maior facilidade em decodificar, aprender e     utilizá-la posteriormente. É tão primordial a comunicação     verbal  durante a gestação que, ao nascer, o bebê, assim     introduzido na  palavra, já terá em seu vocabulário, um     ou dois fonemas.

Além de ser uma fonte poderosíssima de formação     vincular, funciona,  também, como um exercício para a maternidade     e paternidade, um  reconhecimento de que o feto é a mesma pessoa que logo     nascerá e com quem manterão o diálogo já iniciado     na vida uterina e com quem  compartilharão suas vidas.

Se o feto participa ativamente da  manutenção da gravidez e determina     o seu final, seja através do  parto a termo, prematuridade ou aborto,     a sintonia com a mãe é  fundamental em todo este processo, até     mesmo pelo tipo de parto que  será realizado.

Se o parto a termo constitui-se num compromisso  firmado entre mãe e     o feto através de sinais sutis e complexos,  portanto, com a participação     ativa dele, não se pode dizer o mesmo  em relação à     cesariana, quando o bebê é pego de surpresa num momento em que     não estava preparado para nascer.

Assim, a  parturiente deve prepará-lo, esclarecendo o motivo real pelo     qual o  parto será antecipado, quer seja por opção ou necessidade,     bem como, os procedimentos que serão realizados.

Estas atitudes expressam profundo respeito para com o bebê, além     de lhe proporcionar um  suporte emocional necessário num momento repleto     de significados.

O parto, por si só, já é um processo eliciador de trauma     emocional,  haja vista a mudança radical e brusca de vivência que     ocorre com o  bebê. Ele sai de um ambiente tão conhecido, onde os     sons internos  maternos, os sons externos mais abafados, a luminosidade controlada,     a temperatura mais constante, enfim, todo o referencial adquirido por  longos     meses, perde-se repentinamente. Daí a necessidade de  aconchegá-lo     ao peito materno logo ao nascer, para que reencontre e  reconheça este     mesmo referencial que o acolheu durante a vida  pré-natal. Muito mais     que isto, poder ouvir o som da voz materna que identifica quase que simultaneamente     e que pronuncia as primeiras  palavras na sua vinda à vida aérea.

A história de vida do bebê  começa, portanto, anteriormente     ao seu nascimento e pode ser  estruturada de forma mais sadia, com compreensão,     sintonia e  respeito se, desde a concepção, for percebido como     um ser em  formação, como uma pessoa desejante, que sabe expressar     suas  necessidades se houver alguém que possa e consiga captar-lhes o      sentido para satisfazê-las.

Não é necessário longo discurso.  Breves palavras, porém,     intensamente pronunciadas com a mais pura  emoção, hão de     significar muito, pois ele se sentirá compreendido e  aceito, acolhido     e amado por quem mais deseja ser.

Ana Maria Morateli da Silva Rico

Psicóloga Clínica

Até agora, você está bem consciente da gestação, ainda que seu “Mini” ainda não tenha começado a fazer muita bagunça. Você sentirá  algumas dores aleatórias em lugares estranhos de acordo com o crescimento do útero. Tudo isso faz parte da jornada de ser mãe; então, preocupe-se e preste atenção aos chutes sentidos, é a maneira que seu bebê tem para marcar sua presença. Aproveite!

Sua Gravidez: 17 semana de gravidez

Sua Gravidez: 17 semana de gravidez

Seu corpo

Hora de abortar as mensagens contraditórias. Depois de passar toda sua vida tentando evitar ganhar peso, agora você foi aconselhada a engordar. Mas não  em demasia; é claro. Nem ganhar peso de forma errada. É desgastante! A questão de fundo é que se torna essencial para se obter uma quantidade adequada de peso, por meio de alimentos saudáveis, e não milkshakes e sanduíches. Peça ao médico, ou a um nutricionista, elaborar um plano de ganho de peso para você.

Agora não é o momento de dieta. Você nunca deve tentar limitar calorias enquanto estiver grávida, mas também não deve comer demais. Não se preocupe em ganhar mais peso; você pode perderá depois de o bebê nascer. Lembre-se de que uma mulher gestante tem que consumir cerca de 300 calorias extras por dia, o que, na verdade, não é muito; pode ser apenas um pequeno lanche, composto de bolachinhas salgadas com queijo. Então,  não coma por dois!

Seu útero deve estar, nesta fase, cinco centímetros abaixo do umbigo e torna-se cada vez mais arredondado. Quando o seu marido abraçá-la, ele poderá notar a diferença em seu abdômen.

Sentir os movimentos do bebê é um sinal visível à  mãe de que tudo corre bem, especialmente se você          já teve uma gravidez mal-sucedida. Mas, se não          sentiu o bebê chutar, ou não tem certeza, não se preocupe. Geralmente é entre as semanas 16          e 20 que a maioria  consegue sentir e ter certeza de que          foi o bebê que se mexera. Neste período, pode surgir epistaxe, ou seja, sangramentos pelo nariz e pela      gengiva devido à elevação da pressão arterial.

No primeiro caso, deite a cabeça para trás, enrole um gelo      num pano e coloque-o sobre o nariz. Outro ponto negativo a se observar são      os cloasmas (manchas de cor marrom-clara nas bochechas, na testa ou no buço).      Para esse problema ainda não foi encontrada uma solução,      a fim de evitar que as manchas escureçam, não tome sol, caso      contrário, use sempre um filtro solar adequado à sua pele, com      proteção UVA, UVB e UVC. Em casos mais leves, elas somem depois      do nascimento do nenê.

Seu bebê

Falando em ganhar peso, é isso que vai acontecer com seu bebê essa semana. Nessa          semana ele começa a ganhar algumas camadas de gordura          (tecido adiposo), importante para o controle da temperatura e metabolismo do corpo, assim ele não passará frio quando nascer. O peso do seu bebê aumentará cerca de seis vezes ao longo das próximas quatro semanas. Vale a pena saber que você não é a única que está crescendo!

Outros acontecimentos nesta semana:

  • Com 17 semanas de desenvolvimento, a quantidade de água no corpo é de 89 grmas e gordura 0,5 gramas. Ao nascer, o tecido adiposo estará pesando por volta de 2,4 quilos do peso total de um bebê de 3,5 quilos;
  • Dentro ou fora do útero, bebês gostam de brincar e, o seu já deve ter encontrado o seu primeiro brinquedo, o cordão umbilical. Ele gosta de puxá-lo e segurá-lo. Às vezes, segura tão forte que impede a passagem de oxigênio mas, não se preocupe, ele não segura por tanto tempo, portanto, nenhum problema ocorre com essas brincadeiras;
  • Seu bebê está trabalhando arduamente para aperfeiçoar seus reflexos de sucção e deglutição, para melhor fazer suas refeições às 2, 5 e 8 da manhã em poucos meses! Como as unhas das mãos e dos pés já começaram a crescer, quando ele nascer estará na hora da primeira visita a manicure…;
  • Além da lanugem, o corpo do seu bebê também está coberto por uma  substância gordurosa chamada vermix, que tem por finalidade proteger a  pele do seu bebê. A placenta, que tem por finalidade fornecer nutrientes e oxigênio  para o seu bebê, e que também é responsável pela eliminação de resíduos,  continua a se desenvolver. Nesse exato momento ela contém milhares de  vasos sanguíneos que tem por objetivo transportar nutrientes do seu  corpo para o corpo do bebê;
  • A medida de seu bebê esta semana, da cabeça ao bumbum, deve          variar entre 11 e 13 cm. O peso do feto dobrou nas duas últimas          semanas e ele está agora com 110 gramas aproximadamente;

Sua vida

Se o herdeiro ou herdeira do trono terá seu próprio quarto (e não apenas sua própria gaveta), é hora de começar a pensar em como você gostaria de decorá-lo. Não gaste uma fortuna, pois talvez nem o bebê goste. Além do mais, ele vai vomitar, morder e fazer coco no seu quarto novo! 🙁

Qual mãe não gostaria de preparar um lindo cantinho para o nenê que chega? Mas, cuidado para não exagerar na extravagância. O bebê precisa sim de um ambiente aconchegante, porém não de um com excesso de cores.“Não enfeite demais o quarto, o excesso traz confusão visual     e acúmulo de pó”, analisa a arquiteta Carla Arigón     Felippi.

Alguns pontos devem ser observados na decoração. Primordialmente, o bebê necessita de um ambiente tranquilo, especialmente nos primeiros meses, para lhe assegurar proteção de ruídos e de aberturas repentinas de portas e de janelas. Em segundo lugar, a área reservada ao recém-nascido deve ser de fácil acesso para você atendê-lo com rapidez quando necessário.

Uma boa opção para começar a decoração do quarto é planejar a distribuição dos móveis. Todos os móveis devem ser práticos e revestidos com materiais laváveis e resistentes, com pinturas atóxicas e livres de PVC, independentemente do estilo escolhido. Uma dica importante da arquiteta: “Faça uma linha reta entre a janela e a porta do quarto para descobrir o caminho da corrente de vento. Posicione a cama ou o berço fora desse espaço. A partir daí, distribua o guarda-roupa e bancadas”.

As poltronas podem ser de abrir transformando-se numa cama auxiliar, muito útil no caso de quartos para bebês. É importante acostumá-los em seu próprio aposento. Se você for dormir com ele, nos primeiros meses, ficará mais fácil sair do quarto da criança já ambientada. Bem, claro que isso não é uma regra.

Mantenha em mente a segurança do bebê. O recém-nascido será rapidamente ser curioso e começará a andar em seu novo espaço.Compre para você uma roupa confortável e um par de sapatilhas, verá que serã muito úteis durante os primeiros dias em casa. Ah, e naquelas madrugadas de alimentação.

O que você está pensando…

“Eu – Tenho – Somente – Mais – Cinco – Meses – Até – Tudo – Mudar!!!”

Faz bem comer…

Alimentos ricos em ferro, como peixes, frutos do mar e aves; ameixas e outras frutas secas; feijões; hortaliças folhosas (ex: couve, espinafre, brócolis), pois auxiliam na formação de sangue e evitam a anemia durante a gravidez.A Vitamina C auxilia na retenção do ferro; portanto, produtos ricos nessa vitamina, como:

  • Frutas: kiwi, laranja, morango, melão, melancia, mamão, abacaxi, entre outros.
  • Hortaliças: brócolis, pimentão verde, tomate, aspargo, couve-flor, entre outros.

É bom saber…

A alimentação da gestante pode ter um impacto sobre quando seu filho vai entrar na puberdade. De acordo com um estudo neozelandês apresentado, neste mês, no encontro anual da The Endocrine Society, nos Estados Unidos, uma dieta rica em gordura durante a gravidez e a amamentação pode levar os filhos à puberdade precocemente  e à obesidade mais tarde. De acordo com os autores, da Universidade de Auckland, “isso poderia sugerir que o ambiente fetal nas mães alimentadas com muita gordura cumpre um papel mais importante na determinação do início puberal do que a nutrição na infância”.

(Fonte: The Endocrine Society’s 90th Annual Meeting. Junho de 2008)

Cadastra-se
Fotos de Bebê
Ultimos Bebês
sobrinhos Guilherme Gabriel sem camisa Gabriel